17 de dezembro de 2017

4 Álbuns Natalícios que Não Páro de Ouvir

Eu adoro música e adoro o Natal, portanto claro que tenho os meus favoritos para esta altura do ano, que não consigo parar de ouvir e SPOILER ALERT, não há Michael Bublé! Eu sei, escândalo!

1. Simply Christmas (Deluxe Edition), Leslie Odom Jr.
Eu conheci o Leslie e a sua voz maravilhosa com Hamilton: An American Musical, onde ele interpretou Aaron Burr, no elenco original. A partir desse momento comecei a seguir o seu projeto a solo e fiquei encantada quando vi que ele tinha um álbum de natal, Simply Christmas. Este ano, ele relançou o álbum na versão deluxe e eu não consigo parar de ouvir, especialmente a música Please Come Home For Christmas.

2. You Make It Feel Like Christmas, Gwen Stefani
A Gwen é daquelas artistas que fizeram parte da minha infância com a banda No Doubt, mas que depois deixei de acompanhar, até agora. No ano passado (ou no anterior), ela lançou um álbum que me fez voltar a ser fã dela e este ano lançou um de Natal, que está fantástico, juro!

3. Everyday is Christmas, Sia
Eu adoro tudo o que a Sia faz, tanto as músicas que ela lança com o nome próprio, como aquelas que escreve para outros artistas, portanto quando ela lança um álbum de natal, eu ouço-o e fico viciada nele.

4. Come December, Jordan Fisher
Okay, esta é apenas uma música e não um álbum mas eu tenho-a ouvido tantas vezes, que era impossível não a escolher para estar nesta lista.

Estes álbuns (ainda) não estão presentes na minha playlist, mas muitas outras músicas estão, por isso se estiverem interessados esta é a playlist que ouço quando não os estou a ouvir.


Quais são as músicas/álbuns de natal que vocês não param de ouvir?
Beijinhos e até à próxima.

8 de dezembro de 2017

FavoritosdaMoca | Novembro 2017

Depois de me ter esquecido de vos mostrar os meus favoritos de outubro (apesar de os ter escrito no meu BuJo, estou aqui para me remediar e mostrar-vos os de novembro. 

Neste mês, além das séries (claro que não é só uma!) e da música, falo-vos também do meu momento favorito, do filme que mais gostei de ver e do meu primer de eleição. Tudo isto em menos de 20 minutos - juro que ainda não sei como é que o consegui fazer.



Quais foram os vossos favoritos?
Beijinhos e até à próxima.

24 de novembro de 2017

Wishlist | Aniversário & Natal 2017

Hoje é dia de Black Friday, portanto não, eu não resisti e até comprei algumas coisas online, mas não é esse o motivo que me traz aqui. Hoje, e dando continuidade à tradição, trago-vos a minha wishist de Natal para este ano.

Esta é uma lista que já teve várias versões. Primeiro, apenas com coisas das coleções da Disney e de Harry Potter da Primark, basicamente as canecas e os pijamas (como não querer todos?). Depois, tive também a versão Funko Pop!, que basicamente incluia Disney, Star Wars (que também é Disney), Friends, OUAT e, you guessed it, Harry Potter! Por fim, resolvi deixar-vos com uma lista um pouco mais variada, mas que acaba por ser mais do mesmo. #sorrynotsorry 😉



Nos últimos tempos, têm sido vários os lançamentos musicais que me têm chamado a atenção (o que significa: Não paro de os ouvir no Spotify!), e que por esse motivo me levam a quer ter as cópias físicas. É o caso dos CD's: Tell Me You Love Me (Demi Lovato), Harry Styles (Harry Styles), Flicker (Niall Horan) e o Divide (Ed Sheeran). Incluir o Reputation da Taylor Swift é obrigatório para mim, porque eu A-DO-RO a Tay! Ah, esqueci-me de incluir o The Thrill Of It All (Sam Smith), mas também está brilhante e quero-o muito. 

Não seria eu, se não fossem incluídos livros, e desta vez os escolhidos foram o novo do John Green, Mil Vezes Adeus (alguém me explica em que mundo paralelo é que isto é a tradução de Turtles All The Way Down??) e uma colectânea dos romances da Jane Austen, como Orgulho e Preconceito, Emma e Sensibilidade e Bom Senso, entre outros. Ainda no campo da cultura, decidi incluir a coleção completa dos filmes de Harry Potter, em DVD, porque é algo que quero muito!

De tecnologia, estava indecisa entre colocar uma Instax Mini, como nos últimos anos, ou a HP Sprocket e ganhou a HP. Porquê? Porque não é mais uma máquina para eu carregar comigo, mas sim uma impressora portátil compacta que me permitiria imprimir as fotos tiradas com o meu telemóvel/tablet ou com o das pessoas à minha volta. 

Para encerrar o momento cultura, sim, eu incluí LEGO na minha wishlist! E como não incluir? Eu adoro montá-los e a coleção Arquitecture é linda! Cara, mas linda! E eu quero praticamente todas as construções disponíveis, mas em primeiro lugar gostava imenso de ter as Skylines de New York e Londres.

Para o fim, mas não menos importante, deixei os relacionados a moda e beleza. Apenas incluí um item de maquilhagem, porque tudo o resto já encomendei online, e esta paleta da Kiko, da coleção de Natal/Inverno, aparentemente está esgotada, mas é tão linda! Vi-a pela primeira vez no InstaStories da Jordan Bone, fiquei apaixonada e adicionei-a logo à minha wishlist. O Olympea, da Paco Rabanne, é um perfume que tenho em vista desde que foi lançado e, se nunca o cheiraram, façam-no e vão ver se não se apaixonam também. 

Como sonho de consumo, e porque sou apaixonada por malas, ia ficar absolutamente louca se recebesse a Soho Disco Bag, da Gucci ou a Coach x Selena Gomez Grace Bag (que também está esgotada). Nunca vai acontecer, mas sonhar ainda não paga imposto, certo?

Ufa, cheguei ao fim! Nunca pensei demorar tanto tempo, mas isto é tudo o que está na minha lista consumista. Claro que, qualquer coisa que receba me vai deixar feliz, porque significa que a pessoa se lembrou de mim e isso é só por si bastante especial. 
Sei que há pessoas que não gostam, mas eu, por exemplo, adoro receber Cartões Presente (especialmente se forem da Primark ou da Fnac), porque demonstra que a pessoa teve a intenção de escolher alguma coisa, mas como não queria errar, deixou-me escolher algo que eu realmente quisesse.
E a vossa wishlist natalícia, como vai? 
Beijinhos e até à próxima.

21 de novembro de 2017

Looks do Red Carpet | AMA 2017

Domingo (dia 19) foi dia de entregar os American Music Awards, que vão já na 45ª edição. Este ano, a apresentação esteve a cargo da Tracee Ellis Ross, que também prestou um tributo à mãe, Diana Ross, uma vez que esta recebeu o Lifetime Achievemet Award. Ainda no que toca a homenagens, a Christina Aguilera homenageou a Whitney Houston e a música do filme The Bodyguard.

A cerimónia é de prémios de música, mas, por aqui, os únicos prémios são os meus looks favoritos da passadeira vermelha. E, devo confessar que, este ano não foi nada difícil encontrar os meus favoritos.

Demi Lovato em Ester Abner

Tracee Ellis Ross em Stella McCartney

Selena Gomez em Coach

Hailee Steinfeld em Mugler

Kat Graham em Ronald van der Kemp

Lea Michele em J. Mendel

Kelly Rowland em Galia Lahav

Jenna Dewan-Tatum em Julien Macdonald

Madelaine Petsch em Fabiana Milazzo

Lili Reinhart em Cushnie et Ochs

Camila Mendes em J. Mendel

Maia Mitchell em Alberto Audenino
Estes foram os meus looks favoritos e só agora é que percebi que há um padrão entre eles: ou são pretos ou são de cores pastel. Quais foram os vossos favoritos?
Beijinhos e até à próxima.

20 de novembro de 2017

Web Summit '17 | Experiência + Um Dia Comigo (Vlog)



A Web Summit agitou a cidade de Lisboa, pelo segundo ano consecutivo, entre os dias 6 e 9 de novembro e eu não consegui ficar de fora! Mas até chegar ao Parque das Nações, o percurso não foi nada fácil.

Vamos começar pela saga de conseguir os bilhetes. Eu esperava conseguir um bilhete INSPIRE, que apenas me permitia aceder à Altice Arena (ex MEO Arena, ex Pavilhão Atlântico), mas que também apenas custava 15€, para o dia inteiro. Então eu preenchi o formulário para os 10.000 bilhetes disponibilizados inicialmente e rezei para receber o mail com o código. Esperei uns dias e o mail lá apareceu na minha caixa de entrada, só que, quando fui reclamar os meus bilhetes, já não havia bilhetes para reclamar. Fiquei triste? Fiquei! Fiquei chateada? Fiquei! Mas também me conformei com a, então, impossibilidade de ir.

Até que recebi outro mail dizendo que tinham sido disponibilizados mais 2.000 bilhetes, e voltei a tentar a minha sorte, tendo a perfeita consciência que, se não tinha conseguido com 10.000, com 2.000 ia ser impossível, mas claro que tentei na mesma. E consegui!!! Juro que foram das três horas mais stressantes da minha vida. Porquê? Primeiro porque eu estava no meio de uma reunião, ligada à internet da escola, que estava super lenta e segundo porque ainda tive uma aula prática, durante a qual continuei a tentar. No fim de tudo isto, corri para casa, liguei o computador e voltei a tentar, já com a certeza de que não conseguiria os bilhetes porque já se tinham passado três horas desde a abertura da bilheteita, mas CONSEGUI!!!

Agora que já sabem aquilo que sofri para conseguir chegar à Web Summit, vou falar-vos de tudo o que vi por lá. Escolhi ir no dia 9, porque era o último dia, era o dia que me dava mais jeito e porque era o dia em que o Alfie Deyes participava. Um pouco stalker da minha parte? Talvez. Mas lá fui eu, pronta para ouvir o que os diferentes oradores tinham a dizer.

Tudo começou com o Paddy Cosgrave (CEO, Web Summit) dando as boas vindas a todos os presentes na Altice Arena e falando resumidamente sobre o que se ia passar durante o dia naquele palco. Seguiu-se o Werner Vogels (CTO, Amazon.com), que explicou como funciona a Alexa, a tecnologia que envolve, até onde pode ir, etc. Eu não tenho uma nem estou a pensar ter, mas adorei saber como funciona e onde vai buscar toda a informação.

Nos três painéis seguintes, o primeiro sobre a Bitcoin (moeda cryptográfica), o segundo onde se discutiu se a Europa vai ser sempre a segunda melhor e o terceiro onde o Matt Brittin (Google) falou sobre a Google na Europa, eu não estava com muita atenção, porque não eram assuntos que me interessassem, apesar de saber que eram válidos e importantes.

Depois, estava na hora do painel que eu estava lá para ver, no qual, Jenna Marbles (Youtuber) e Alfie Deyes (Youtuber), numa conversa mediada pelo Mark Russell (British Vogue), falaram durante 20 minutos sobre o culto de personalidades, quais são os limites e quando é que são ultrapassados, sobre ser "o verdadeiro eu" online, etc. Sem dúvida que este foi, para mim, o ponto alto da manhã. Entretanto havia ainda um painel onde foi discutida qual seria a próxima grande inovação tecnológica, mas nós saltámos essa e fomos almoçar. Foi uma decisão acertada? O meu estômago disse que sim!

A tarde começou com Caitlyn Jenner (Campeã olímpica e Defensora dos Direitos dos Transgénero), naquela que foi das talks mais inspiradoras que já ouvi na vida e olhem que eu já vi muitas TED Talks! Ela falou sobre como se sentia e de como se sente agora, tentou fazer-nos entender como era ser trans e ainda nos deu aquelas que considera serem as quatro palavras para o sucesso. Seguiram-se Neville Spiteri (Wevr) e Andrew Jones (Vencedor do Óscar de Melhores Efeitos Especiais, Avatar e The Jungle Book), que falaram sobre como se usa a tecnologia para contar histórias. Basicamente foram 20 minutos recheados de informação sobre efeitos especiais, com direito a behind the scenes de alguns filmes e eu adorei!

Depois a conversa ficou séria de novo, com o Alexander Nix (CEO, Cambridge Analytica) e o Matthew Freud (Fundador, Freuds) a falarem sobre dados, como se acumulam e se/como se manipulam, eleições, ... Estão a ver onde é que isto foi dar certo? À influência ou não da Rússia, na eleição de DJT como Presidente do EUA, como é óbvio. Mais uma vez foi algo a que estive atenta, apesar de não ser algo que eu esperava que me interessasse. Na conversa seguinte, Sara Sampaio (Modelo Victoria's Secret) e Rosario Dawson (Atriz e Fundadora do Studio 189) falaram sobre o crescimento do ativismo no meio das celebridades, de como usam a sua plataforma para dar voz a problemas que existem e precisam de mais atenção, como o abuso sexual em mulheres, que tem sido bastante falado ultimamente no meio artístico (e não só).

Seguiram-se um debate, que de debate não teve nada, sobre se as empresas pagam impostos suficientes e uma conversa sobre bicicletas e aluguer de bicicletas nas cidades, que também não me despertaram a atenção. Aliás, nem a mim, nem às pessoas à minha volta, que começaram a mandar sinais de luzes com as lanternas dos telemóveis de um lado para o outro.

Prestando atenção a esta brincadeira, o Paddy pediu que toda a gente ligasse as lanternas, desligaram-se todas as luzes (#momentocute) e foi introduzido o próximo painel, que incluiu Hans-Holger Albrecht (CEO, Deezer), Wyclef Jean (Músico e Filantropo) e Martin Garrix (DJ/Produtor e CEO/Fundador da STMPD RCRDS), que falaram sobre se a tecnologia pode ou não salvar a indústria musical. Já agora, a resposta é sim, pode!

De seguida, foi revelado o vencedor do PITCH, a Lifeina, que eu não fazia a mínima ideia do que era mas descobri depois que é uma start-up francesa que desenvolveu um mini-frigorífico (200mm x 100mm), que permite conservar medicamentos. Esta é uma solução que vai de encontro à necessidade das pessoas que sofrem de doenças crónicas e que necessitam de tomar medicação que tem de ser conservada no frio. Além do mini-frigorífico, que permite guardar os medicamentos até um mês, criaram também uma aplicação móvel que controla em tempo real a temperatura, a bateria e que avisa o doente quando está na hora de tomar os medicamentos. Segundo o CEO da Lifeina, Uwe Diegel, "Em França, 3,8 mihões de pessoas tomam medicamentos que têm de ser conservados no frigorífico. E por vergonha não os levam para o trabalho. O Life in a Box não é só um frigorífico. É liberdade para as pessoas."

Para terminar o dia em cheio, Al Gore (Presidente da Generation Investment Management), falou durante meia-hora, sobre o papel da inovação comunitária na resolução da crise climática que estamos a viver. Esta foi outra das minhas talks favoritas, pois ele soube cativar a atenção do público com um discurso coerente, inteligente e até cómico, enquanto abordava um assunto tão importante e atual como as alterações climáticas.


Este foi o meu dia na Web Summit que terminou com as palavras finais do Paddy e do nosso querido Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, dentro da Altice Arena, seguido de um mini-passeio à beira-rio e outro dentro do Vasco da Gama.

O balanço que faço é bastante positivo. Adorei a experiência, aprendi coisas novas sobre temas novos e até aprendi sobre inovações no mundo da Farmácia (que é o meu curso). Foi um dia diferente mas que voltava a repetir sem pensar duas vezes.

Sei que tanto o post como o vídeo são longos mas foram a melhor forma que encontrei de deixar este dia bem registado, aqui no meu cantinho. Ah, e recomendo vivamente que vejam as talks da Caitlyn Jenner e do Al Gore, na sua totalidade.
Beijinhos e até à próxima.

8 de novembro de 2017

5 Novas Séries que Recomendo (Comédia & Drama)



Se me conhecem ou seguem há algum tempo, sabem que uma das coisas que mais gosto de fazer é ver séries. E não é uma, nem duas, são tantas que preciso de uma aplicação para as controlar e mesmo assim...

Portanto, quando no fim de setembro/início de outubro estrearam séries novas, imediatamente comecei a acompanhar algumas das que me pareceram mais interessantes. Hoje, mais de um mês depois das estreias, trago-vos o meu top 5.


Espero que tenham gostado. Qual foi a série que vos despertou mais interesse?
Beijinhos e até à próxima.

16 de outubro de 2017

MocaTalksAbout | Incêndios Florestais

Crédito foto: Hélio Madeiras, Bombeiros Voluntários Vieira de Leiria


Portugal é um país de terra queimada e é com tristeza que o reconheço. Infelizmente, todos os anos a história repete-se. Centenas de incêndios, estradas cortadas, hectares e hectares queimados, e este não é excepção. De certa forma, este ano até está a ser pior que todos os outros! 

Ontem foi o dia com mais incêndios de todo o ano, com todos os distritos em alerta vermelho, bombeiros e meios que não chegam para acudir a todas as necessidades, populações em sobressalto, pessoas que infelizmente perderam a vida... E estamos em outubro!

Okay, eu sei que as temperaturas excessivamente altas para a época se devem ao aquecimento global e que a falta de chuva está a piorar a situação, mas sinceramente eu acho que parte desta situação podia ser evitada. Pelo menos a parte que está nas mãos do governo.

Primeiro, é preciso que se coloquem de lado os interesses económicos associados a este tipo de tragédia, porque a madeira pode ficar mais barata, mas as vidas e os bens que se perdem têm valor inestimável.
Segundo, penso que "fogo posto" deveria ser considerado terrorismo, pode não vir do Estado Islâmico, mas é um atentado contra todos nós e consequentemente a pena a cumprir deveria ser mais severa. E já agora, a defesa que pare de argumentar problemas mentais, porque eu duvido que (quase) todos sejam mesmo malucos.
Terceiro, penso que também o valor das multas aplicadas a quem não limpa os terrenos que lhe pertencem é demasiado baixo, em comparação com o valor das consequências; portanto podem sempre aumentar o valor das multas ou aplicar sanções ainda mais severas, porque primeiro acham que não é preciso limpar os terrenos e depois queixam-se que têm o fogo à porta de casa. 
Quarto, temos tantos desempregados e tantos reclusos, será que não podem também eles colaborar na limpeza e conservação das matas e florestas, nem que seja só das nacionais, que pertencem ao Estado, ou seja, a todos nós e das quais todos temos de cuidar. 
Quinto, na altura da reflorestação é necessário pensar na árvore que se vai plantar. Eucalipto cresce mais depressa, é verdade, mas também esgota mais o solo. Já o pinheiro demora mais tempo a crescer e é menos agressivo para o solo. E estes são só dois exemplos, temos ainda os carvalhos, os sobreiros, as oliveiras, etc.

Esta é a parte em que digo que, felizmente, este ano, não fui afectada directamente pelos incêndios, não vi a minha casa em perigo, nem as chamas de perto. Mas isso não quer dizer que não fique preocupada quando vejo outros a passar por isto. Ontem o Pinhal de Leiria começou a arder, algo que não acontecia desde 1916 e que eu nunca pensei ver. São quilómetros e quilómetros de uma zona rica em fauna e flora e que sempre me transmitiu uma sensação de tranquilidade face à proximidade ao mar e que agora está destruída. Faz parte da minha cidade, do meu distrito e por isso eu não consigo ficar descansada.

Portugal é um país belíssimo, um entre dezenas que constituem a Europa, e de certa forma, todos os anos, é aquele que me parece ser mais devastado pelos incêndios. Está nas nossas mãos perceber e corrigir aquilo que nos torna um alvo tão fácil para este tipo de calamidade, e impedir que passemos de um país bonito e verdejante para um deserto árido. 
-----
Estas são algumas das coisas que eu senti necessidade de deixar registadas por escrito, porque não me conformo em ver o meu país a arder. Espero não ter ofendido ninguém e que percebam que esta é apenas a opinião de uma cidadã preocupada e que está a escrever às 2:00 da manhã. Agora, gostava de saber qual é a vossa opinião? Concordam comigo ou discordam? Parcial ou completamente?
Beijinhos e até à próxima.

11 de outubro de 2017

MocaReviews | Para Sempre, Talvez (Livro & Filme)


Hoje trago-vos um daqueles romances que nos fazem acreditar em amores de infância - Para Sempre, Talvez (Where Rainbows End), escrito por Cecelia Ahern e adaptado para o cinema com o nome Deixa o Amor Entrar (Love, Rosie). Em Portugal, foi publicado em 2005 pela Editorial Presença.

SINOPSE: Alex e Rosie atravessaram a infância e a adolescência juntos, sempre presentes na vida um do outro como melhores amigos. Mas, quando chega o momento de começarem a descobrir as alegrias das noites na cidade e das primeiras aventuras amorosas, o destino resolve pregar-lhes uma partida ao colocar entre os dois a vastidão do oceano Atlântico quebrando, assim, a evolução natural e espontânea de uma relação de amizade para algo mais profundo. A família de Alex muda-se da Irlanda para Boston, e ele parte também, para sempre. Rosie não consegue imaginar a vida sem o companheiro de todas as horas e decide ir igualmente para os Estados Unidos. Só que, uma vez mais, o destino, com o seu fino sentido de ironia, intervém na vida dos dois jovens, obrigando Rosie a permanecer na Irlanda. Mas poderão o tempo, a distância e o próprio destino ser mais fortes que um grande amor?

Este é dos meus excertos favoritos!


OPINIÃO: De forma a ter uma opinião mais completa quanto à história e à sua adaptação cinematográfica, primeiro li o livro e só depois vi o filme. E bem... confirma-se o livro é melhor do que o filme! O que não quer dizer que eu não tenha gostado do filme, porque gostei! Aliás, eu estava muito cansada quando o vi e consegui não adormecer, o que é bastante positivo.
Isto está relacionado com algo que também me aconteceu com outro livro (e depois o filme) da autora, o P.S. I Love You, e tem haver com o facto da adaptação cinematográfica contar com ligeiras diferenças e pormenores, que me incomodaram por preferir a forma como foram descritas no livro ou por não estarem sequer presentes no filme e serem importantes para a história.
À excepção destes coisas, a que só eu ligo e das quais já devia de estar à espera, eu gostei bastante do filme, ou não fosse eu fã do trabalho da Lily Collins e do Sam Claflin, e acredito que se não tivesse lido o livro teria gostado ainda mais, pois os atores fizeram um excelente trabalho e a banda sonora é fantástica.
Resumindo, o livro é fantástico, romântico, divertido e vai envolver-vos de uma forma incrível; o filme é tudo isto e mais, por exemplo eu chorei a ver o filme e não a ler o livro, mas caso façam o que eu fiz, fiquem mesmo a contar ficar um pouco desapontadas com alguns pormenores.

Espero que tenham gostado. Já leram o livro ou viram o filme? E outros livros da autora, já leram?
Beijinhos e até à próxima.

4 de outubro de 2017

FavoritosdaMoca | Setembro 2017 (Taylor Swift, Guardians of the Galaxy Vol.2, ...)



Olá! Hoje trago-vos os meus favoritos do mês de setembro, que incluem também coisas de julho e de agosto, como livros, produtos de cabelo e música.

Quero desde já pedir desculpa pelo ligeiro desfoque do vídeo (e da thumbnail) mas eu pedi ajuda ao meu irmão para focar a imagem e aparentemente ele não percebe a diferença entre a nitidez da minha cara e a da cama atrás de mim. Normalmente, eu não publicaria o vídeo assim, mas realmente não o consegui regravar, portanto espero que não seja algo que vos incomode muito.


Espero que tenham gostado. Quais foram os vossos favoritos do mês de setembro? 
Beijinhos e até à próxima.

29 de setembro de 2017

MocaTalksAbout... The People vs OJ Simpson

Imagem retirada do Pinterest

Quem já viu a primeira temporada de American Crime Story? Eu vi e tenho algumas coisas a dizer sobre tudo o que se passou. 

Em primeiro lugar, se alguém não sabe do que estou a falar, esta é uma série que tem como objectivo abordar os crimes mais mediáticos dos EUA e nesta primeira temporada foi abordado o julgamento do OJ Simpson, conhecido jogador de futebol americano, que, em 1995, foi acusado do homicídio de Nicole Brown, sua ex-mulher e de Ron Goldman.

Em segundo lugar, quero dizer que estão de parabéns pelo elenco escolhido, pelo texto bem escrito e pela forma como combinaram imagens reais relativas ao período do julgamento com as gravações, o que deu um sentido de veracidade maior a tudo o que é abordado. A sério, os atores foram tão bem escolhidos que houve momentos em que me esqueci que eram atores e não pessoas da vida real, entendem?

Em terceiro lugar, quero dar a minha opinião sobre algumas coisas que me chamaram a atenção, como a forma como a Marcia Clark foi tratada, a forma como a equipa da defesa atuou e o júri. Ah, antes que me esqueça achei super interessante que tenha havido um episódio que nos deu o ponto de vista do júri e do que eles estavam a passar e que tivesse existido um mais focado na Marcia.

Imagem retirada do Pinterest



Imagem retirada do Pinterest
Agora sim, a minha opinião. Eu acho que o julgamento parecia um circo e que ele foi ilibado por ser famoso e por ser um negro numa altura extremamente racista. Não por ter ficado provado que não os matou. O caso que devia ser de duplo homicídio acabou por se tornar um caso racial. A cena do crime até pode ter sido adulterada e o detetive podia ser corrupto e racista mas contra factos não há argumentos. Como é que o sangue do OJ poderia ter sido plantado nas cenas do crime, nas luvas e no Bronco? Como é que eles não viram que as luas serviam? Como é que um júri maioritariamente feminino pode declarar inocente um homem que foi várias vezes denunciado por violência doméstica? Como é que nem a defesa nem a própria polícia procuraram outros culpados? Estes foram erros enormes cometidos naquele que foi considerado o julgamento do século. Isto sem mencionar que o OJ é extremamente manipulador, egocêntrico e narcisista.

Imagem retirada do Pinterest


Eu compreendo que na altura as pessoas, em especial os negros, estavam furiosos contra a brutalidade e o racismo da polícia, mas isso não significa colocar de lado o senso comum. Mark Fuhrman é um racista sem coração e a defesa teve sorte por ter sido ele a encontrar as luvas e por ter cometido certos erros, mas até quem o odeia não pode ignorar a quantidade de provas. A Marcia tinha um quadro explicativo com todas as provas chave, com todo o conteúdo que realmente interessava para o caso, porque os elementos do júri não se conseguiam concentrar nas provas em vez da teoria da conspiração. E mesmo assim, depois de meses de testemunhos e de apresentação de provas, eles deliberaram o veredito em quatro horas, incluindo a pausa para almoço!!!

Eu acho simplesmente incrível a forma como tudo se processou, mas acho que foi o sistema judicial americano, a falta de senso comum e a incapacidade das pessoas para separarem o crime da pessoa que resultou nisto.

Espero que tenham gostado e eu recomendo a série a qualquer pessoa, de tão boa que está. Mas, quando a terminei pus-me a pensar como é que seria se, nos dias de hoje, um caso semelhante acontecesse e o protagonista fosse o Cristiano Ronaldo. Acham que ele seria ilibado ou culpado?
Beijinhos e até à próxima.

22 de setembro de 2017

MocaReviews | A Seleção



Olá! Hoje trago-vos a review do livro A Seleção, que dá o nome à primeira coleção da Kiera Cass. Este é um livro que estava na minha wishlist à bastante tempo, principalmente porque achava a capa bonita e que finalmente trouxe para casa quando o vi em promoção no Continente. Em Portugal, foi publicado em 2014 pela Marcador Editora, do grupo Editorial Presença.

SINOPSE: Para trinta e cinco raparigas, a Seleção é a oportunidade de uma vida. É a possibilidade de escaparem de um destino que lhes está traçado desde o nascimento, de se perderem num mundo de vestidos cintilantes e joias de valor inestimável e de viverem num palácio e competirem pelo coração do belo Príncipe Maxon.
No entanto, para America Singer, ser selecionada é um pesadelo. Terá de virar as costas ao seu amor secreto por Aspen, que pertence a uma casta abaixo da sua, deixar a sua família para entrar numa competição feroz por uma coroa que não deseja, e viver num palácio constantemente ameaçado pelos ataques violentos dos rebeldes.
Mas é então que America conhece o Príncipe Maxon. Pouco a pouco, começa a questionar todos os planos que definiu para si mesma e percebe que a vida com que sempre sonhou pode não ter comparação com um futuro que nunca imaginou.


OPINIÃO: Eu sou uma fã assumida de The Bachelor e portanto um reality show deste formato em forma de livro, que envolve realeza, tinha tudo para me conquistar, e conseguiu! As personagens têm personalidades fortes e dimensões que vão além da página e eu estou seriamente a torcer pelo Maxon, na corrida pelo coração da America (algo que pode ou não mudar com os próximos livros). Claro que há personagens que quero conhecer melhor e outras que já odeio mas isso é algo que apenas vou conseguir resolver lendo o resto da saga, algures num futuro distante...

Espero que tenham gostado. Já leram o livro? O que acham de livros do género?
Beijinhos e até à próxima.

20 de setembro de 2017

MocaReviews | A Dog's Purpose


A review de hoje não é literária, mas sim cinematográfica, temos portanto a review do filme A Dog's Purpose ou, em português, Juntos para Sempre. Este é um filme baseado num livro com o mesmo nome, de W. Bruce Camerom, que, por mais estranho que pareça, não faço a mínima questão de ler.


SINOPSE: Esta é a história de Bailey (ou Buddy, Tino e Ellie), que é um cão que nos mostra a sua história através de diversas encarnações, raças e donos. Depressa se percebe que o mais importante é o primeiro dono, Ethan, com quem Bailey teve uma relação extremamente especial, com uma separação difícil e que, mesmo depois de ter encontrado outros donos dedicados, tem esperança de ainda encontrar.



OPINIÃO: Eu descobri este filme durante o programa Janela Indiscreta, da RTP, e, sinceramente, o que me fez querer vê-lo foi a presença do K.J. Apa, da Britt Robertson e do Dennis Quaid. Agora que o vi, tenho a dizer que adorei absolutamente! Gostei da forma como a história foi sendo construída e de como fizeram as diversas transições entre raças e donos e da forma brilhante como o Josh Gad deu voz a esta personagem. No final, não pude deixar de pensar que realmente foi mostrada a realidade de vários animais que nem sempre têm donos que os amam e cuidam deles como deve ser. Em suma, recomendo vivamente o filme para ver em família naqueles dias chuvosos em que tudo o que nos apetece fazer é embrulhar numa manta, relaxar, e talvez chorar um bocadinho

Espero que tenham gostado. Já viram este filme? E leram o livro? O que acharam?
Beijinhos e até à próxima. 

17 de setembro de 2017

MocaDIY's #2 | Painel de Inspiração

Na minha opinião, toda a gente precisa de ter um painel de inspiração em casa e, depois de ver este vídeo da Ingrid Nilsen, fiquei inspirada para fazer um também. Por isso peguei no painel de cortiça mais pequeno que tinha cá em casa (mesmo assim é grande) e o resto podem ver no passo a passo. 

1º Passo: Colar fita cola na diagonal, para que a linha fique perfeita.


2º Passo: Pintar uma das partes com a cor escolhida, eu escolhi o Titanium White, porque acho que fica mais neutro. Fiz duas camadas de tinta para a cor ficar uniforme.


3º Passo: Retirar a fita cola com cuidado e verificar se a linha está perfeita.


4º Passo: Colocar o que vos inspira no painel. Eu deixei a parte não pintada para coisas relacionadas com a faculdade, como o calendário académico e o das propinas, e a parte pintada para tudo o resto que me inspira e me deixa feliz.


Espero que tenham gostado. Eu adoro DIY's mas não tenho muito jeito, por isso se tiverem ideias fáceis de fazer, deixem nos comentários para que eu possa experimentar.
Beijinhos e até à próxima.

6 de setembro de 2017

Vlog | Um Dia Comigo + Back to School Haul


Yay! Estou de volta aos vídeos (espero!) e hoje venho mostrar-vos um vlog que gravei na semana passada e que resolvi publicar porque considero que ficou melhor do que eu esperava. 

Além de passarem o dia comigo, mais ou menos, resolvi incluir também o meu haul de material escolar para o regresso às aulas e não só, por achar que não se justificava gravar um vídeo em separado.


Espero que tenham gostado. Acham que devo continuar a fazer vlogs deste género?
Beijinhos e até à próxima.

3 de setembro de 2017

5 Coisas que Quero Fazer Este Verão - o Resultado


Olá! Lembram-se deste post? Pois bem, hoje vamos conversar sobre o seu conteúdo, ou seja, as minhas metas para este verão ele e sobre como os meus planos para o verão foram por água abaixo. Não estão a perceber? Eu explico.

Bem, para começar não treinei os meus cães, não fui mais de uma vez à praia (até agora), não conduzi mais e não fui a Lisboa, ao Porto ou a Aveiro. A única coisa que realmente aconteceu foi acordar todos os dias antes das 8h, mas não por me ter tornado uma morning person, mas sim porque comecei a trabalhar.

É verdade, euzinha passei o verão a trabalhar com a minha tia-avó na loja que ela tem na Praceta de Santo António, em Fátima. Portanto, os meus planos de verão passaram a ser acordar todos os dias às 7h, ir trabalhar, voltar para casa, jantar e relaxar, onde se incluem tentativas de ver filmes, séries e ler livros muitas vezes falhadas porque adormecia devido ao cansaço. E claro que o blog e o canal também sofreram com isso, mas espero regularizar a situação em breve.

Agora, ao fim de um mês e meio de trabalho posso dizer que aprendi várias coisas sobre mim e sobre os meus interesses, como:
1. Percebi que eu realmente só acordo antes das 8h se tiver alguma coisa para fazer que não possa ser adiada, como trabalho ou aulas. Nas minhas folgas, eu nem ouvia o despertador - e tinha 6 ligados!
2. Descobri que trabalhar numa loja cansa mais do que eu imaginava, fisica e psicologicamente. É incrível o tempo que se pode passar em pé no mesmo lugar e também o quanto algumas pessoas regateiam os preços marcados até não poderem mais, chego a pensar várias vezes se acham que nos oferecem as coisas em vez de termos de as pagar também.
3. Percebi que não estava assim tão interessada em vários canais de Youtube nos quais estava subscrita e que já dessubscrevi (isto é uma palavra verdadeira?). Não o fiz por achar que produziam mau conteúdo ou por não gostar ou não admirar a pessoa por detrás da câmara, mas sim por perceber quais são os canais que ao fim de um dia de trabalho e muito cansaço me fazem carregar no vídeo por estar realmente interessada e não por ser só mais um daquela pessoa (não sei se me fiz entender).
4. Percebi que os planos e os objetivos que se definem num momento, podem mudar no outro e não há nada de errado com isso, apenas novas possibilidades e caminhos para explorar. Isto era algo que sabia mas que só agora realmente entendi.

Espero que tenham gostado. E os vossos planos e objetivos de verão correram como planearam ou sofreram alterações como os meus?
Beijinhos e até à próxima.

7 de agosto de 2017

MocaReviews | Lola and the Boy Next Door



Depois de ontem vos ter falado do primeiro livro da autora Stephanie Perkins, hoje falo-vos do segundo - Lola and the Boy Next Door. Este foi publicado pela primeira vez em 2011 e a minha edição foi publicada no Reino Unido pela Usborne Publishing em 2014. Em Portugal, eu não sei se o livro se encontra traduzido ou não. 

Vamos então à sinopse? 
Sinopse: A designer em ascensão Lola Nolan não acredita em moda... ela acredita em costume. Quanto mais expressivo o outfit - quanto mais cintilante, mais selvagem - melhor. E a vida está bastante perto de ser perfeita para a Lola, especialmente com o seu namorado rocker.
Isto é, até que os gémeos Bell, Calliope e Cricket, voltam para o bairro e desenterram um passado de mágoa que a Lola pensou estar enterrado há muito tempo. Portanto quando o talentoso inventor Cricket sai da sombra da irmã gémea e volta para a vida da Lola, ela tem de enfrentar uma vida inteira de sentimentos pelo "rapaz da porta ao lado".



Opinião: Eu li, na verdade eu devorei, este livro em nove horas. Sim, nove horas foram o suficiente para eu ler mais uma história YA escrita pela maravilhosa Stephanie Perkins. 
Este é o segundo livro da “triologia” e São Francisco foi o cenário escolhido para acolher esta história maravilhosa, mas também cheia de mal-entendidos, protagonizada por uma rapariga que adora disfarces e o rapaz que esteve lá desde o início. Apesar de este ser o segundo livro, e de conter personagens do primeiro, não é necessário ler o primeiro para entender a história, que segue mais ou menos as mesmas linhas orientadoras do primeiro, sem soar a repetição. Portanto, eu também adorei a história e fiquei triste quando acabou porque gostava de ter mais informação sobre o futuro dos personagens, algo que espero ver resolvido no terceiro e último livro (que pena que ainda não o tenho comigo). Ah! E também acho que a adaptação cinematográfica é necessária, principalmente porque não há produções suficientes que ocorram em São Francisco. 

Espero que tenham gostado? Já conheciam este livro?
Beijinhos e até à próxima.

6 de agosto de 2017

MocaReviews | Anna and the French Kiss

Hoje a review é do primeiro livro da autora americana Stephanie Perkins, Anna and the French Kiss (em português: Anna e o Beijo Francês). Este livro foi publicado em 2010, pela primeira vez, e a minha edição foi publicada no Reino Unido pela Usborne Publishing, em 2014. Em Portugal, é um livro editado pela Editora 5ª Essência. 

Depois de todos estes pormenores desinteressantes devem querer uma sinopse não? Então cá vai!

Sinopse: A Anna tinha tudo planeado - ela estava prestes a começar o senior year com a sua melhor amiga, ela tinha um bom emprego ao fim-de-semana, e o relacionamento com a sua crush do trabalho parecia que poderia estar a avançar... Até que o pai dela decide enviá-la para Paris ou para 4383 milhas de distância. Sozinha.
Mas apesar de não falar uma única palavra em Francês, a Anna faz novos amigos, incluindo Étienne St. Clair, o inteligente, lindo rapaz do piso de cima. Mas ele está comprometido - e a Anna pode estar também. Será que um ano de romantic near-misses vai acabar com o beijo francês de que ela está à espera?


Agora que já sabem do que se trata, vou dizer-vos o que achei do livro.
Este é o tipo de história que me deixa curiosa para saber quando e como é que o casalinho vai perceber que não pode fugir mais ao amor que sente. Assim, a história da Anna e do St. Clair (não acho apropriado chamar-lhe Étienne, e se lerem o livro vão perceber porquê) é tão fofa e tão cheia de mal-entendidos, que só dois adolescentes apaixonados conseguem inventar, que chega a ser hilariante ler e imaginar tudo. Sinceramente, é dos melhores YA que já li, em termos de história, personagens e escrita, e não acredito que demorei tanto tempo para o terminar, quando claramente o conseguia fazer em menos de um dia.
Com tudo isto, juro que não entendo como é que este livro ainda não foi transformado em filme, este e os outros dois que compõem a "triologia". Imaginem os cenários Paris, Atlanta, São Francisco e Nova Iorque e também os personagens que se movem com a história e os seus cenários principais.

Espero que tenham gostado. Já tinham ouvido falar deste livro? E da autora?
Beijinhos e até à próxima.

28 de julho de 2017

Haul | Maquillalia + Nyx



Hoje venho mostrar-vos o resultado da minha primeira compra na Maquillalia, durante a primeira semana de saldos deles, assim como as últimas coisas que comprei na loja da NYX no Forum Coimbra.


Na caixa de descrição do vídeo coloquei os links dos produtos mencionados, pelo menos para aqueles que encontrei.



Espero que tenham gostado. Já experimentaram algum destes produtos? Qual a vossa opinião sobre eles? Sobre qual gostavam que fizesse um #MocaReviews primeiro?
Beijinhos e até à próxima.