23 de março de 2016

Os Meus Preferidos: Básicos Maquilhagem

Adoro maquilhagem mas não sou rapariga para a usar todos os dias (nem nas olheiras!), principalmente devido à preguiça que tenho para a retirar ao fim do dia. Mesmo assim, tento ter sempre alguns produtos comigo, que já se tornaram os meus básicos de maquilhagem.



Como podem ver, escolhi produtos acessíveis e que podem ser aplicados sem pincéis (bónus) para ilustrar a minha lista, mas como é óbvio isso não é regra. O BB cream é o multifunções que todas temos e que adoramos, pois dá uma cobertura leve, corrige algumas imperfeições e ainda tem protetor solar (que muitas vezes esquecemos quão importante é). O corretor ajuda a cobrir qualquer coisa que o BB tenha deixado escapar e também pode iluminar se o tom for mais claro que o da vossa pele. A sombra em creme dá à vossa pálpebra um toque de cor, sem ter a necessidade de uma aplicação "rigorosa", o lápis preto é também um multifunções que tanto serve de sombra como de delineador e a máscara/rímel dá aquele "up" ao olhar, que faz toda a diferença. O hidratante labial com cor é um ótimo substituto ao batom, durante a correria do dia-a-dia. Por fim, deixo o gel de sobrancelhas que pode ser considerado um item extra, pois tenho perfeita noção que nem toda a gente precisa dele para que os pêlos das sobrancelhas não saiam do lugar.

Quais são os produtos que fazem parte da vossa lista de básicos de maquilhagem? Têm mais ou menos que eu? Se tiverem sugestões de produtos novos, digam para eu experimentar.
Beijinhos e até à próxima.

20 de março de 2016

#12meses12coisas: 12 músicas que adoro (3)

Conseguem acreditar que já estamos no terceiro mês do desafio? Pois, eu também não. 
Como já repararam pelo título, o tema deste mês é música e música é algo que está sempre presente na minha vida (mesmo enquanto estou a estudar), portanto escolher apenas doze músicas que goste é complicado para mim. No final das contas, acabei por escolher aquelas que mais me têm vindo à cabeça ultimamente. Vamos lá ver como me safei?

I Dreamed a Dream, Anne Hathaway (Les Miserables)
     A primeira vez que ouvi esta música foi em Glee, depois vi o filme e a forma como foi interpretada pela Anne Hathaway levou-me a gostar ainda mais da música e a chorar perdidamente durante toda a performance dela (desafio-vos a verem a cena e não chorarem, é impossível!).

This Time, Lea Michele (Glee)
Mais uma vez Glee. Esta música foi escrita pelo Darren Criss (Blaine na série) para o último episódio da série e interpretada maravilhosamente pela Lea Michele. Já ouvi as duas versões (masculina e feminina) e apesar de gostar das duas, prefiro a da Lea. A razão pela qual me identifiquei tanto com ela é que, na altura em que a série acabou, o meu último ano no secundário estava a acabar também e toda a letra fala sobre como podemos seguir em frente e mudar quem somos sem não esquecermos de onde viemos e o que aprendemos até esse momento e isso foi e continua a ser bastante importante para mim.

Back to December, Taylor Swift
Escolher apenas uma música que adoro dela foi muito, mas mesmo muito difícil porque a Taylor é a minha cantora favorita. Assim, decidi que escolheria uma música do meu álbum preferido (Speak Now) em representação de todas as outras que não foram escolhidas. Porquê a Back to December? Primeiro porque gosto bastante da letra e segundo porque envolve o meu mês de aniversário e de alguma forma faz-me lembrar do Natal, do frio, da neve, etc.

I Lived, OneRepublic
     De novo, esta foi escolhida porque acho a letra absolutamente maravilhosa e lembra-me que tenho de fazer o que posso e o que não posso para cumprir os meus sonhos e objetivos na vida, sem deixar de prestar atenção ao que realmente importa, família e amigos. Para que no fim das contas, possa dizer que tive uma vida feliz e preenchida, sem arrependimentos.

Photograph, Ed Sheeran
Adoro o Ed e todas as músicas dele, mas esta é especial. Primeiro, tem o vídeo mais querido de sempre e segundo é simplesmente maravilhosa. Realmente não consigo descrever o meu amor por esta música, por isso fiquei apenas com o típico 'gosto porque gosto e pronto'.

Torn, Natalie Imbruglia
Quem é do fim dos anos 90 certamente cresceu a ouvir esta música, que foi lançada em 1997 (meu ano), e, sejamos sinceros, é a única música que conhecemos desta artista australiana. Sempre que a ouço sou transportada para a minha infância e provavelmente é essa a razão pela qual gosto tanto dela, o que lhe garantiu um lugar nesta lista.

Carried Away, Passion Pit
 Não me perguntem como conheci esta música porque não faço a mínima ideia. Na verdade, até faço. Conheci-a num daqueles momentos em que estamos no Youtube, sem nada para fazer e carregamos num vídeo aleatório, e depois noutro, e depois noutro e assim continuamos até percebermos que está algo de muito errado connosco. Sinceramente, a razão pela qual ouvi a música até ao fim foi a história contada pelo vídeo, que está muito bem feito, mas depois o refrão ficou na minha cabeça e aí percebi que realmente gostava da música e da banda.

Won't Go Home Without You, Maroon 5
 Esta foi a primeira música que ouvi deles, sabendo quem eles eram (estava na banda sonora da 6a série dos Morangos com Açúcar, era o tema da Filipa e do Gonçalo e sim eu sei estas coisas) e de alguma forma foi o cartão de apresentação da banda para mim, por isso é que gosto tanto dela.

Yellow, Coldplay
Mais uma música que foi o cartão de apresentação da banda à minha pessoa e que continua a ser uma das minhas músicas preferidas deles e da vida, por isso não podia deixar de estar nesta lista.

Same Old Love, Selena Gomez
Estou a adorar esta nova fase da Selena e esta é a música que mais gosto do novo álbum por isso está aqui a representar todas as outras que não pude escolher. Mas só para que saibam a decisão entre esta e a Hands to Myself foi bastante difícil.

If I Were a Boy, Beyoncé
Fazer uma lista com músicas que adoro e não incluir nada desta diva maravilhosa seria um erro do tamanho do mundo, portanto usei o mesmo critério que usei para tantos outros artistas acima mencionados fui por eliminação. Assim, escolhi a minha música preferida do meu álbum preferido (I Am... Sasha Fierce), e a razão pela qual gosto tanto desta música é a mensagem contida na letra.

All I Ask, Adele
Adoro todas a músicas da Adele e posso afirmar que ouvi-las não me deixa deprimida ou com vontade de chorar. O novo álbum está maravilhoso, com uma sonoridade ligeiramente mais alegre que os outros e esta é a música que mais gosto dele, a par com a When We Were Young. E como curiosidade, caso ainda não saibam, o Bruno Mars (outro artista que adoro) ajudou a escrevê-la.

Estas são algumas das músicas que adoro, quais são as vossas?
Beijinhos e até à próxima.


16 de março de 2016

Paris... aqui vou eu!


Olá a todos! Não sei como aguentei tanto tempo sem dizer nada aqui no blog, mas basicamente, e como já perceberam pelo título, vou para Paris, ou melhor, a esta hora, se o TVG não se atrasou já lá estou.

Estou super entusiasmada por voltar à cidade (já se passaram 13 anos desde a última vez) e acho que apesar do frio (por lá ainda não passaram dos 10º/12º de máxima) vai dar para aproveitar bem a cidade e cumprir tudo o que tenho planeado.

Como é óbvio farei os diários de viagem, que, desta vez, serão publicados (quase) em tempo real, ou seja, não vou deixar passar um ano para acabar de os publicar, até porque desta vez levo o meu computador comigo, o que vai facilitar tudo. 

Já agora, eu vou de férias mas o blog não, portanto podem contar com posts novos todas as quartas e domingos às 18h. Entretanto, digam-me qual seria o vosso próximo destino.
Beijinhos e até à próxima.

9 de março de 2016

#youzz: Oreo Golden (Sim ou sim?)



No final do ano passado passei a fazer parte da comunidade Youzz.net, mas para ser sincera nunca pensei fazer parte de uma campanha tão depressa. Por isso fiquei muito surpreendida e entusiasmada quando recebi o e-mail que confirmava a minha participação nesta campanha. Depois, apenas tive que esperar que o kit de campanha chegasse a minha casa, para iniciar a minha experiência com Oreo Golden.

No interior da caixa de cartão estavam: a carta de apresentação da campanha, 16 embalagens de Oreo Golden (ainda tenho seis intactas), o guia de campanha e um bloco de questionários para os amigos.
De imediato comecei a distribuir bolachas pelos familiares e amigos e a recolher os seus questionários preenchidos, a opinião positiva foi praticamente unânime.



Estas são as primeiras bolachas da Oreo que não têm chocolate, e apesar de não terem o sabor tradicional, não desiludem os verdadeiros fãs deste tipo de bolacha. Para mim, o sabor a baunilha torna-se até menos enjoativo que o de chocolate, o que não é um ponto muito positivo se apenas querem comer uma ou duas em vez de toda a embalagem (que, já agora, contém 14 bolachas).


Para terminar, e se ainda não estão convencidos do quão boas elas são, fiquem a saber que estas são as únicas Oreo que não vos vão deixar os dentes/boca pretos (o que é uma vantagem para quem usa aparelho dentário como eu).

Eu realmente gostei das novas Golden e vocês? Já experimentaram ou têm vontade de experimentar estas bolachas? Se sim, digam-me o que acharam depois de as provar.
Beijinhos e até à próxima.

3 de março de 2016

MocaGoesTo... Londres #6 (Dias 29/6 e 30/6)

Para o dia 29, não tínhamos nada programado e portanto ocupámos o dia a passear pelas lojas da Oxford Circus (que inclui a Oxford Street e a Regent Street), pelo Picadilly Circus, pelo Soho e Covent Garden.

Regent Street; Picadilly Circus; Hamleys


Começámos pela Hamleys, simplesmente a melhor loja de brinquedos do mundo (na minha opinião), e com a melhor abertura de portas de sempre (há contagem decrescente com as crianças!!!). Estivemos no seu interior por volta de duas horas e meia e depois fomos almoçar.

Fachada e interior da loja; Eu a tentar imitar a pose da Miss Green; Exterior da loja



À tarde, fomos à loja M&M's World que é enorme e maravilhosa mas que tem um cheiro um pouco enjoativo. Para terminar o dia andámos pela Primark, Zara, Topshop, Urban Outfitters, Forever 21, etc.

Dia 30 foi dias de ir embora (com muita pena minha) e portanto só fizemos check-out do hotel, apanhámos o comboio em St. Pancras para o Aeroporto de Luton e ficámos no aeroporto até à hora do nosso voo de volta a Portugal.



Espero que tenham gostado deste diário de viagem, apesar de não ter sido feito em tempo real ou pelo menos concluído no ano a que respeita. Digam-me nos comentários qual foi a vossa parte preferida desta minha viagem e se gostavam que para as próximas fizesse vlogs.
Beijinhos e até à próxima.

2 de março de 2016

MocaGoesTo... Londres #5 (Dia 28/6)

Este foi o dia escolhido para relaxar e portanto a nossa programação estava bastante livre. 
Começámos por nos dirigirmos ao Buckingham Palace com o objetivo de assistirmos à troca da guarda, mas não sem antes passarmos pela House of Guards, onde assistimos ao início da parada, e, pelo St. James Park (onde na via principal estavam a acontecer gravações para um projeto que inclui o Hugh Laurie e o Tom Hiddleson e que segundo as minhas pesquisas considero ser The Night Manager - infelizmente nenhum deles estava no set). 

Parada na House of Guards; Fachada do Buckingham Palace


Chegados aos portões do palácio procurámos um lugar perto das grades para conseguirmos ver alguma coisa e conseguimos. A troca da guarda foi qualquer coisa e realmente é feita com pompa e circunstância, adorei que a banda tenha tocado a música dos Incríveis. Mesmo no fim da parada começou a chover e nós, sem guarda chuva ou impermeável, que aparentemente toda a gente tinha, refugiámo-nos num restaurante Pizza Express para almoçar e adivinhem quem nos atendeu, sim, um português.

Fachada e interior da Westmister Cathedral




Itens expostos nos Museus da Ciência e da História Natural

Depois do almoço não voltou a chover e andámos pelas ruas, visitámos a Westmister Cathedral e chegámos finalmente aos Museus da Ciência e da História Natural que visitámos com o tempo bastante contado, mesmo assim, conseguimos explorá-los bastante bem. Com os museus fechados não nos restou alternativa senão aproveitar a proximidade aos parques e passear pelos Kensington Gardens, Hyde Park (onde estava a acontecer um festival de verão, onde a Taylor Swift se apresentou e para o qual não arranjei bilhete), Green Park e St. James Park. Tendo terminado esta longa caminhada junto à Westmister Abbey

Kensington Gardens e Hyde Park; Fachada da Westmister Abbey
Para termimar o dia dirigimo-nos à Victoria Station (caminhada de mais de 15 minutos), para apanharmos o metro de volta ao hotel.

Espero que tenham gostado.
Beijinhos e até à próxima.

1 de março de 2016

MocaGoesTo... Londres #4 (Dia 27/6)

Sábado. Fomos visitar a imponente Catedral de St. Paul e encontrámos os primeiros esquilos nos jardins que circundam a catedral. De seguida apanhámos um autocarro tradicional (daqueles que têm ar de velho, uma única entrada e um senhor que está de pé a anunciar qual é a próxima paragem) e dirigimo-nos à Igreja All Hallows by the Tower, que é a mais antiga igreja de Londres. Quando lá chegámos ainda estava fechada, mesmo quando o horário indicava que já deveria de estar aberta, portanto seguimos ao longo do rio até à Tower Bridge para a atravessarmos a pé.

Pormenor lateral da Catedral de St. Paul; Fachada da Catedral; Autocarro tradicional


Depois da travessia deslocámo-nos à paragem de autocarro mais próxima para irmos para o Borough Market, um maravilhoso mercado gastronómico onde encontrámos mais uma portuguesa, desta vez vendedora de uma das bancas de presunto, e claro que lhe comprámos algumas fatias até porque era bastante saboroso. Enquanto percorremos o mercado a hora de almoço foi-se aproximando e a nossa fome aumentando. Solução: comprar o almoço lá. Como se pode experimentar de tudo em todas as bancas a decisão não foi fácil mas encontrámos paella com um preço simpático, sabor maravilhoso, take away e feita na hora e não deixámos a oportunidade escapar (gostava de dizer o nome da banca mas não me lembro). Saímos então do mercado e fomos procurar um sítio onde pudéssemos comer tranquilamente sentados e encontrámo-lo junto à Catedral de Southwark (que não pudemos visitar porque estava a realizar-se uma missa qualquer importante que impossibilitava a entrada de mais uma mosca).

Tower Bridge e uma das entradas para o Borough Market 


Para digerir o almoço fizemos uma caminhada ao longo do rio, durante a qual passámos pelo Golden Hinde II (galeão de Francis Drake), pelo The Archor (pub mais antigo de Londres) e pelo Shakespeare’s Globe (teatro onde Shakespeare encenou as suas peças).

Golden Hinde II; Vista da Millenium Bridge; Shakespeare's Globe


Atravessámos depois a Millennium Bridge (quem se lembra dela no filme do Harry Potter?) e dirigimo-nos à estação de St. Paul onde apanhámos o metro até Notting Hill. Para quê? Visitar o fantástico Portobello Market. Não o percorremos todo por motivos de: parecia que nunca mais acabava e todo o grupo já estava cansado. Mesmo assim vi coisas maravilhosas e únicas à venda que se não fosse o preço e o facto de não caberem na mala teria trazido. Sem dúvida que Notting Hill ficou no top das minhas zonas preferidas.

Mapa do Mercado; as famosas casas coloridas de Notting Hill; uma das lojas do mercado inspirada na Alice no País das Maravilhas e entrada para o cinema (fiquei surpreendida por ser à antiga)


Aproveitando o súbito tempo livre e uma enorme vontade de conhecer mais da cidade apanhámos o metro mais uma vez até Bank onde trocámos da linha Central para a DLR que nos levou até Greenwich (outra zona que ficou no top das preferidas). Passámos praticamente todo o tempo no parque, junto ao Royal Observatory e foi lá que encontrámos um grupo bastante grande de adolescentes portugueses (provavelmente do 9º ano).

Royal Observatory em Greenwich; London Eye; Vista do topo do London Eye



Para terminar o dia em beleza fomos andar no London Eye por volta das 21h de forma a aproveitarmos o resto do pôr do sol.

Depois de tudo isto, que caso não tenham entendido implicou andarmos de uma ponta à outra da cidade, quão cansados acham que estávamos quando chegámos ao hotel, numa escala de 0 a 20? 
Beijinhos e até à próxima.