20 de outubro de 2014

Medos, quem não os tem?

Tenho medo de me decepcionar com as pessoas de que gosto e não conseguir voltar a confiar nelas.
Tenho medo de me decepcionar comigo.
Tenho medo de decepcionar os outros.
Tenho medo de amar.
Tenho medo de esquecer.
Tenho medo de não poder dizer adeus.
Tenho medo de ficar sozinha.
Tenho medo de não conseguir ser quem eu sou e quem quero vir a ser (se bem que ainda não descobri essa parte).
Tenho medo de querer ajudar e não poder.
Tenho medo de não avançar.
Tenho medo de crescer.
Tenho medo de me tornar numa pessoa azeda, amarga e infeliz.
Tenho medo de desistir.
Tenho medo de sonhar.
Tenho medo de exagerar.
Tenho medo de alturas.
Tenho medo de estar demasiado próxima de animais.
Tenho medo do monstro que todas as noites sai do meu guarda-roupa para me assustar (#monstersincfellings)
Tenho medo de não ver tudo o que quero ver.
Tenho medo de não viver tudo o que quero viver.
Mas acima de tudo, tenho medo de não ter medo porque é ele que regula, que limita as minhas acções e sem ele não há limites, não há barreiras, não há nada que me detenha e é isso que me dá medo.

Medos, quem não os tem?